Cada vez mais ouvimos falar de “inteligência emocional” (IE).
Mas o que é que significa? Qual o impacto nas relações laborais e no êxito empresarial?

IE é a competência para usar a razão, compreender as próprias emoções e as dos outros, lidar com elas, interpretar a envolvente e tomar decisões mais racionais.
As empresas vivem um ambiente dinâmico e de elevada competitividade, onde a IE tem merecido um papel de destaque no êxito empresarial, já que a gestão das emoções tem um impacto directo na produtividade, qualidade e sustentabilidade dos resultados alcançados. A empresa deve ter consciência do impacto das suas actividades sobre as emoções dos colaboradores. Deve desenvolver um conjunto de competências-chave que potenciem o desenvolvimento da IE por forma a melhorar as relações laborais.  Mas de que forma? Através da percepção de sinais não-verbais, escuta, construção de redes de relações interpessoais, gestão dos sentimentos e conflitos, avaliação do impacto pessoal, feedback, motivação, autoconhecimento, de permitir a flexibilidade, ambientes criativos, etc. As empresas devem adoptar uma perspetiva emocional na sua gestão.
Estudos demonstram que, em geral, as empresas de maior sucesso são as que adoptam esta perspetiva. Regra geral, apresentam maior facilidade de adaptação a novas situações e para assumir riscos e as suas equipas são autoconfiantes e coesas. É necessário ter em mente que a inteligência emocional pode ser aprendida. Treino pode produzir efeitos eficazes.